Dicas, Europa, Vaticano

Como melhorar suas fotos de viagem

22 jun 2015
[ 1 ]

Fotografar é uma das mais belas artes que existem. Capturar um momento é a certeza de que vamos nos lembrar sempre dele, mesmo que a memória não ajude mais, temos ele ali, impresso em papel, pronto para nos mostrar todas as nossas aventuras do passado.

Gostar de fotografar é diferente de ter talento, mas bem que algumas dicas podem ajudar a melhorar a qualidade do seu click. Por isso, há algumas semanas convidei minha amiga e fotógrafa premiada Emanuelle Rigoni para nos ensinar algumas regrinhas básicas de fotografia para que nossas fotos não só de viagem – mas como as imagens do dia a dia – sejam cada vez melhores  e também porque a Manu é a melhor fotógrafa do mundo.

Nós viajamos juntas para a Itália e era muito legal aprender todos os dias. Nós estávamos no mesmo lugar, diante da mesma cena, mas quando eu via as fotos que ela tinha tirado, morria de vergonha e pensava “Oh Deus, como ela viu isso?”. Mas é como diz uma frase que eu adoro: “A câmera não faz diferença nenhuma. Todas elas gravam o que você está vendo. Mas você precisa VER.”  Aqui neste link tem as fotos dela dessa nossa viagem inesquecível!

Bom, agora vamos ao que interessa.

Regra dos terçosEnquadramento
De maneira simples, use a regra dos terços, que funciona assim: imagine que na tela do seu celular foram desenhadas linhas de um “jogo da velha”. O “assunto” da foto (você, seu namorado, cachorro) deve estar em algum ponto de encontro dessas linhas. É uma regra, mas não quer dizer que ela NÃO  possa ser quebrada – eu vivo quebrando. E quando você arrisca sair da convergência, você se descobre criativo e criador de belíssimas fotos.

O que fotografar?
Antes de tudo, deve ser levado em conta o que você quer realmente “falar” com a sua fotografia. Sabendo isso, existem alguns “truques” que podem ajudar a fotografar pessoas e deixá-las sempre elegantes:

– Câmeras compactas ou mais simples costumam vir com lentes grande angulares (a 18-55, por exemplo). Procure manter uma distância “saudável”, para não distorcer o fotografado (principalmente quando ele está no canto do enquadramento).

– O fundo da foto é sempre importantíssimo. Nada mais feio (e até indelicado) que objetos indesejados no cenário.

– Quando estiver viajando e desejar fotografar uma pessoa e compor com o fundo, lembre-se muito do ângulo. Fotos tiradas de cima para baixo causam a impressão de que as pessoas estão muito baixas e quando as fotos são tiradas de baixo para cima, causa o efeito de que a pessoa está muito alta. Fotografe um pouco acima dos olhos da pessoa.

Usando a luz do sol ao seu favor. Foto: Emanuelle Rigoni

Usando a luz do sol ao seu favor. Foto: Emanuelle Rigoni

Saiba usar a luz natural
Tente fotografar a favor do sol, não contra (a não ser que queira uma silhueta). No caso profissional, usamos um rebatedor para “trazer” a luz do sol para a pessoa. Mas quando estiver viajando, principalmente em dias de muito sol, procure áreas em que sol esteja suave. Acredite, dias nublados ou com nuvens são ótimos para fotografar.

Fotos noturnas
A noite temos menos luz, claro, e tudo vai depender da resposta que sua câmera dá para trabalhar em um ambiente com menos luz. Câmeras profissionais aguentam um ISO bem alto, já as mais simples sofrem quando aumentamos o ISO.

Mas a minha dica é: não tenha medo do grão e da luz ambiente (isso mesmo, dê férias ao flash da câmera e do celular). ISOs altos, na falta de luz, causam uma imagem granulada. Dê carinho ao grão! Ele pode ser mais poético que você imagina. ​

Imagens monumentais
Quando estiver viajando e se deparar com aquelas construções enormes, a primeira dica é: se posicione longe dos monumentos grandes na hora de posar para a foto. Se estiver perto, use uma grande angular​, mas provavelmente todos os objetos no quadro sairão distorcidos. Esteja em uma distância em que você consiga observar por inteiro o monumento sem distorção, enquadre seguindo as regras (ou não) e click!

Vejam que para mostrar o monumento, estamos muito, mas muito longe dele! Foto: Emanuelle Rigoni

Vejam que para mostrar o monumento, estamos muito, mas muito longe dele! Foto: Emanuelle Rigoni

Devo utilizar a resolução máxima da câmera?
A vantagem neste caso é na pós produção – a meu ver. Para quem deseja fotografar em RAW, por exemplo, a pós produção te dará mais possibilidades de recuperar as cores da foto. Em tempo: segundo o Wikipedia “o Raw, ou formato cru, é uma denominação genérica de formatos de arquivos de imagens digitais que contém a totalidade dos dados da imagem tal como captada pelo sensor da câmera fotográfica. Tais formatos não podem ter aplicada a compressão com perda de informação, como ocorre com o popular JPEG​”​.

Já​​ nas minhas palavras, o RAW capta fielmente o que você está vendo. O JPEG “engana” você. Se você estiver em uma viagem e quer mostrar aos seus amigos como realmente eram as cores das montanhas, use o RAW. Use o JPEG para fotos casuais.

Edição
Um bom – e fácil – programa para retocar imagens quando chegar em casa: Lightroom. É fácil, rápido e prático. Para aprender, o Youtube proporciona zilhões de vídeo-aula.

Dicas extras
Procure sempre fotografar no manual ou em prioridade – se não estiver usando o celular. Explore sua câmera. Leia o manual. Brinque com ela. Assista a vídeos e o principal: use a criatividade e não se prenda à regras. Sempre digo: a foto tem de fazer sentido ao fotógrafo, em primeiro lugar.

É isso pessoal! Não se esqueçam de comentar os posts, isso ajuda o blog a ganhar vida, me orienta sobre as preferências de vocês e me estimula, pois a cada comentário fico muito feliz! Você também pode acompanhar a gente no Facebook e Instagram

Deixe seu comentário
1 comentário em "Como melhorar suas fotos de viagem"
  1. Manu (a fotógrafa)   •   22/06/15   •   14h45

    Amei, amiga! Você tem futuro como jornalista hahaha e como fotógrafa também. Beijos sua linda.