Diversos

Confissões de uma viajante: eu também sinto medo

12 Maio 2015
[ 2 ]

Tenho uma confissão a fazer: morro de medo de viajar de avião. Medo, pavor, pânico… tudo isso junto. Sou do tipo que dias antes do embarque já fica nervosa, que quase não dorme se chove bem na noite anterior ao voo que sai logo cedo e quase esmago meus dedos de tensão durante a decolagem. E só quem tem medo de voar é que sabe o quanto angustiante pode ser um barulho estranho, uma aeromoça com ‘ar preocupado’ ou quando se ouve a frase “em caso de despressurização, máscaras de oxigênio cairão automaticamente. Puxe as tiras para liberar o fluxo, coloque sobre o nariz e a boca, ajuste o elástico e respire normalmente”. Sim, sei de cor mas rezo para nunca ter que ver a cor dessas máscaras!

Se meu medo fosse maior que meu sonho eu nunca teria tido essa vista das Bahamas!

Se meu medo fosse maior que meu sonho eu nunca teria tido essa vista das Bahamas!

Nesse exato momento, além de me chamar de louca, você deve estar pensando “Até parece. Se tivesse todo esse medo mesmo nunca iria viajar tanto”. Eu sei que foi isso que você pensou, mas a verdade é que eu me nego a deixar o medo dominar e mesmo chorando, embarco no avião. A vontade de conhecer novos lugares e culturas diferentes é maior e isso me dá forças para não deixar que meus medos sejam maiores que meus sonhos.

Essa frase soou piegas, clichê… eu sei. Mas se hoje deixo de entrar em um avião por medo, amanhã posso passar a não andar mais de carro, de ônibus e quando menos esperar, já nem saio de casa. Pode parecer uma conexão exagerada, mas como posso ousar não aproveitar minha liberdade? Como posso não tentar e simplesmente dizer: tenho medo?

Escrevo esse post de dentro do avião e isso me fez lembrar da primeira vez que voei em um modelo turbo-hélice.  Nesse dia fiz o check-in e quando fui embarcar, lá no fundo da pista estava ele: um avião pequeno e com hélices! Parei na pista e um a um os passageiros foram passando por mim, até que algum funcionário da companhia aérea educadamente me abordou e disse: “Senhora, está precisando de ajuda?Sua aeronave é aquela ali da frente, só falta você embarcar”. Nesse momento eu tinha certeza de que NADA me faria entrar sozinha naquele avião, até que me fiz várias perguntas e uma delas foi “Você está disposta a passar o resto da vida com a decisão de não embarcar”?IMG_2928

Explico: moro longe da família há mais de 10 anos e minha avó materna estava bastante doente. Eu poderia perder a chance de ver pela última vez uma das pessoas que mais amo na vida e tudo isso por medo. Um medo incoerente, já que acontecem mais acidentes nas estradas do que no ar, um medo que me distanciava de tantas coisas que gosto.

Subi naquele avião, agradeci que não tinha ninguém sentado ao meu lado, coloquei os óculos escuros e chorei durante quase todo o voo (a 1h20 mais longa da minha vida). Minhas mãos suavam e meu corpo inteiro tremia. Rezei incontáveis vezes para santos que nem sei se existem de verdade. Desci do avião e quase fiz aquela cena clássica do Papa João Paulo II, que beijava o chão de onde chegava (desconfio eu ele também tinha medo de avião, rs).

Isso aconteceu há quase dois anos e sabe em qual tipo de aeronave eu prefiro voar hoje? Sim… turbo-hélice. Fazem menos barulho e me parecem ser mais estáveis. E eu jamais saberia disso se não tivesse tido a coragem de subir no avião naquela segunda-feira, 21 de janeiro de 2013 e nem teria visto este pôr do sol espetacular:por do sol

Então, queridos… se enfrentem… lutem com seu medo seja ele qual for. Seu medo não pode te impedir de fazer o que você gosta. Não pode tomar as rédeas da sua vida e nem te deixar para baixo. Continuo com medo de avião, mas ele não é maior que eu!

É isso pessoal! Não se esqueçam de comentar os posts, isso ajuda o blog a ganhar vida, me orienta sobre as preferências de vocês e me estimula, pois a cada comentário fico muito feliz! Você também pode acompanhar a gente no Facebook e Instagram

Deixe seu comentário

2 comentários em "Confissões de uma viajante: eu também sinto medo"
  1. Alexandra Figueiredo   •   12/05/15   •   11h02

    Adorei o post!!.. entendo muito bem este medo de voar….rsrs

  2. Larissa   •   31/05/15   •   22h44

    Ai, Iara, adorei! Tb tenho certo medo, imagino mil coisas, mas isso até embarcar! Quando entro no avião e passa a decolagem (a hr q tenho mais angústia) tento relaxar e fico imaginando pra onde tô indo!! Nessa última viagem peguei 10 voos e um deles era de hélice (o primeiro da minha vida!!), me preparei bem e tentei curtir o voo, que era só de 40 longos minutos!!!! A ho q deu pra me acostumar um pouco mais!! Rsrs… O que seriam das nossas alegrias se fossem os nossos medos sempre a nos perseguirem? Beijooo