Ásia, Perrengues, Tailândia

Kanchanaburi: para gringo ver #FuradaMaster

13 fev 2014
[ 2 ]

Quase todo mundo passa por algum perrengue ou alguma furada nas viagens (não é por nada que tenho um blog com esse nome). Não estou falando de imprevistos, do tipo: um atraso, um temporal, uma nevasca ou coisas que você não teria como mudar a situação. Falo de passeios que você jurava que seriam lindos (e não eram), frustrações e a sensação de perda de tempo.

Estação de Kanchanaburi

Estação de Kanchanaburi

Estamos todos sujeitos a esse tipo de coisa, até porque, o que é maravilhoso para alguns, pode ser chatíssimo para outros. E foi isso que nos aconteceu em Kanchanaburi, que fica a 160 km de Bangkok.

Quando eu estava montando o roteiro da viagem, achei que Kanchanaburi fosse uma ótima opção justamente porque AMO história e foi nessa cidadezinha que durante a Segunda Guerra Mundial os japoneses (sim Japoneses) forçaram os prisioneiros de guerra a construírem uma ponte/ferrovia (esta da foto) e o que marca é que milhares deles morreram por maus tratos ou acidentes durante a construção da ponte.

Esta é a Ponte sobre o rio Kwai.

Esta é a Ponte sobre o rio Kwai.

Eu li a história e vi que a ponte e parte da ferrovia estavam construídas e que além dos memoriais de guerra havia um passeio de uma hora por essa ferrovia, decidi que iria para Kanchanaburi! Então comecei a pesquisar sobre o passeio, assim como todo mundo vi fotos no google e era tudo muito bonito, com montanhas, um rio enorme e o passeio era em um belo trem antigo… daqueles de madeira (Para constar: Sou apaixonada por viagens de trem, nunca recuso uma).

Chegando lá conhecemos o cemitério dos soldados mortos durante a guerra e já seguimos para a Ponte, que é de onde parte o passeio de trem. Como muitos outros pontos turísticos pela Tailândia, em torno da ponte há uma feirinha e várias galerias (tudo muitíssimo caro, não recomendo comprar nessa cidade).

E o trem chegoooou!

E o trem chegoooou!

O trem que deveria partir as 10h, iria atrasar meia hora. Até aí tudo bem, isso acontece em qualquer lugar. Mas deu 10h30, 11h30, meio dia e NADA do trem chegar. Perguntei por lá o porque do atraso e me explicaram que ele NUNCA é pontual. Portanto, se mesmo depois deste post você decidir por esse passeio, reserve o dia todo para tal.

Lá pelas 12h20 o trem chegou. Simples, de madeira, colorido, todo lindinho. Embarcamos e lá fomos nós. Pensei:  ok, agora é só curtir a paisagem.

Humpf…. ledo engano.

Antes de contar o maior motivo da minha frustração um parêntese aqui: Eu nasci em Mato Grosso do Sul, morei de 2005 a 2012 em Mato Grosso e hoje moro no Paraná. Ambos os estados são focados no agronegócio e grandes exportadores de produtos como milho, soja, cana de açúcar e etc. 

 

Voltando a história… o trem partiu, começamos a passar por um pequeno bosque e pouco depois a paisagem começou a mudar e a mostrar plantações. Pensei: ah, normal. as montanhas, lagos e cenários de tirar o fôlego devem ser um pouco mais pra frente mesmo.

Ledo engano, de novo!

Você consegue ver a plantação de Cana ao fundo?

Você consegue ver a plantação de Cana ao fundo?

Durante TODO o passeio (mais de 1h) tudo o que vimos foram plantações de Cana, Mandioca, Milho, Mamão e muitas outras coisas que temos muito aqui no Brasil. Quando comecei a contar para uma guia que tínhamos tudo aquilo por aqui ela quase não acreditou, ficou cheia de perguntas e dentro de pouco tempo eu e o marido estávamos praticamente palestrando para guias e gringos.

Ah, os gringos adoraram o passeio. Para muitos deles que só conhecem a forma industrializada de alguns itens, aquelas plantações eram imperdíveis (pensei em como não sabemos ganhar dinheiro com turismo, mas isso é para outro post).

A primeira "paisagem"da viagem de trem.

A primeira “paisagem”da viagem de trem.

Apenas no final, mas no final mesmo, onde o trem para é que fica a tal paisagem com um lago e etc.

IMG_1473Eu não recomendaria este passeio para quem tiver outras opções de day trip para fazer. Sério!

A não ser que você foi criado em uma cidade muuuito grande e nunca viu um pé de milho ou mandioca, porque se você (assim como eu) já viu, depois de 15 minutos de trem você já vai ficar desinteressado e sem saco.

Se você também gosta de história, eu indicaria ir apenas para a cidade, conhecer a ponte, o memorial, o cemitério dos soldados mortos e pronto. O passeio de trem – na minha opinião – é descartável.

É isso pessoal! Não se esqueçam de comentar os posts, isso ajuda o blog a ganhar vida, me orienta sobre as preferências de vocês e me estimula, pois a cada comentário fico muito feliz! Você também pode acompanhar a gente no Facebook e Instagram

#Wanderlust

 

Deixe seu comentário
2 comentários em "Kanchanaburi: para gringo ver #FuradaMaster"
  1. Fernanda Azevedo   •   13/02/14   •   14h25

    Aff! Eu fui no começo do ano passado e não acreditei quando vi aquele monte de pé de mandioca! Acho que se o passeio fosse mais curto, tipo uns 20 minutos, ainda ia ser massa. Mas passar um tempão vendo isso não rola pra gente, é coisa pra quem nunca viu mesmo.

  2. Ewerton Costa   •   13/02/14   •   14h27

    Que passeio mais podre! Fui com a minha noiva e só não descemos antes pq de lá a gente ia pro Tiger Temple. Tb nao recomendo.